Páginas

26 março 2017

Um novo ciclo

Eu sempre tive muito medo da inconstância - da minha própria e também da vida, das coisas no geral. Medo de me entregar completamente a um sentimento ou momento e de repente perceber que tudo mudou, acabou, já não é o mesmo... Isso me atormentou internamente durante muito tempo, até que, recentemente, após muita pesquisa, leitura, meditação e trabalho interior, percebi que nada é fixo ou permanente (como a Monja Coen sempre fala) e tá tudo bem. 

Algumas frases e ensinamentos, por mais clichês que possam ser, às vezes passam pela gente diversas vezes, mas não são absorvidas de fato. "A vida é feita de ciclos" - aposto que você já ouviu isso várias vezes, certo? Mas até que ponto você internaliza isso e aceita que, de fato, às vezes tá tudo ótimo, às vezes tá tudo uma merda, mas vai passar? Que é fase, ciclo... Eu, particularmente, acreditava que absorvia muitos ensinamentos sobre como viver melhor e ser mais feliz, mas quando passava por uma situação difícil e me permitia afundar na tristeza, sem perspectiva de melhora, percebi que estava racionalizando os ensinamentos, não os aplicando na minha vida de fato. É muito fácil ler um livro de autoajuda e encontrar muitas respostas sobre como melhorar sua vida - difícil é colocar tudo isso em prática.

A frase que me fez acordar e perceber que eu estava no domínio da minha vida e das minhas escolhas, podendo sim escolher estar feliz ao invés de estar triste, foi a seguinte: 

"Você pode ser o que você quiser, inclusive você mesmo." 

Não consigo explicar o motivo, mas ela me marcou de tal forma que eu abri os olhos pra tudo aquilo que eu vinha procurando há muito tempo. As respostas estavam na minha frente e eu só não conseguia enxergar.

Às vezes é tão difícil conviver com certas pessoas, em certos ambientes. Na escola, faculdade ou trabalho, por exemplo. Você precisa lidar diariamente com pessoas completamente diferentes de você e em muitos momentos acaba deixando um pouco de lado quem você realmente é para se "encaixar". É claro que digo isso por experiência própria - muitas pessoas têm personalidade extremamente forte e são quem são em qualquer situação. Mas o caso é que: a partir do momento que você percebe que pode ser o que você quiser, quem você quiser, basta querer... É libertador. 

Eu percebi que eu não precisava me encaixar. Não precisava conhecer todas as músicas sertanejas só porque minhas amigas da faculdade estavam a todo tempo cantando elas. Não precisava usar o tipo de roupa que elas usavam para me sentir bem. A partir do momento que escolhi ser eu mesma, falar sobre aquilo que gosto e não esconder quem eu sou de verdade, respeitando, é claro, os gostos alheios, tudo melhorou. Algumas pessoas não têm maturidade para lidar com o que é diferente delas, mas tendo confiança em si mesma, justamente por estar se permitindo ser quem você é, comentários alheios não fazem nenhum sentido.

Acho que estou escrevendo esse texto pra mim mesma. Sei lá. Senti falta de escrever aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário